segunda-feira, abril 24, 2017

ISRAEL PAROU 2 MINUTOS EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DO HOLOCAUSTO

As sirenes soaram esta manhã por todo o Israel para evocar os 6 milhões de judeus assassinados durante o Holocausto. 
Todas as actividades e circulação automóvel pararam, ao mesmo tempo que cerimónias comemorativas vão sendo realizadas um pouco por todo o lado, com especial incidência na capital Jerusalém. 
Coroas de flores foram depositadas no memorial do Holocausto, no Museu Yad Vashem, em Jerusalém. 
O tema das comemorações deste ano é. "Restaurando as suas identidades: o destino do indivíduo durante o Holocausto." Pelas 11H00 da manhã, o Knesset iniciou uma cerimónia entitulada: "Para cada pessoa há um nome."

MARCHA DOS VIVOS
Pelas 13H30, milhares de pessoas devem participar na habitual "Marcha dos Vivos", na Polónia, percorrendo a pé os cerca de 3 quilómetros de linha férrea que ligava Auschwitz a Birkenau.


"PODIAM TER SALVO 4 MILHÕES DE JUDEUS"
Em tom de acusação às potências ocidentais que, segundo documentos da ONU recentemente tornados públicos, tinham pleno conhecimento do genocídio decorrente já no ano 1942, Netanyahu afirmou "o significado terrível" desta pesquisa: "Se as potências em 1942 tivessem agido contra os campos de extermínio - e tudo o que era necessário era bombardear repetidamente os campos - se tivessem então agido, poderiam ter salvo 4 milhões de judeus e outras pessoas."
E concluiu: "As potências sabiam, e não agiram."

Shalom, Israel!

sábado, abril 22, 2017

ONDA DE CALOR LEVA ISRAELITAS A INUNDAREM AS BELAS PRAIAS DO PAÍS

As intensas ondas de calor que se fazem sentir em Israel têm "empurrado" dezenas de milhares de israelitas e turistas para as muitas praias do país, como forma de escaparem às altas temperaturas e ao sol escaldante.
Só no lago da Galiléia são esperadas 30 mi pessoas para se refrescarem junto às cálidas águas do lago.
No sul do país - Bersheva e Eilat - a temperatura chegou aos 40º celsius, com 36º em Tel Aviv e 32º na capital Jerusalém.

As autoridades têm estado a alertar a população para a necessidade de hidratar-se o corpo através da ingestão de água e de outros líquidos.
Espera-se já para amanhã uma queda acentuada nestas temperaturas demasiado altas para a época primaveril de Israel.

Shalom, Israel!

terça-feira, abril 18, 2017

DOCUMENTOS DA ONU RECENTEMENTE PUBLICADOS REVELAM QUE JÁ EM 1942 OS PAÍSES ALIADOS TINHAM CONHECIMENTO DO MASSACRE DOS JUDEUS

Documentos da ONU de há 70 anos atrás só agora tornados públicos revelam que os países aliados tinham conhecimento do extermínio dos judeus que estava sendo levado a cabo por Hitler muito antes do que até agora se supunha. Estas evidências tinham até agora sido negadas pelo Departamento de Estado norte-americano.
Um historiador recentemente entrevistado pelo jornal britânico "The Independent" confirmou que os países do Ocidente - os assim-chamados "aliados" para combater Hitler - tinham conhecimento do extermínio sistemático dos judeus da Europa às mãos de Hitler já em 1942.

No seu livro agora publicado "Direitos Humanos depois de Hitler", o historiador Dan Plesch examina os documentos da ONU nunca antes vistos e que provam que os oficiais britânicos mais graduados estavam a par do facto de Hitler estar a embarcar num programa de extermínio que na altura já tinha terminado com a vida de cerca de 2 milhões de judeus, estando outros 5 milhões a caminho de enfrentar as mesmas ameaças mortais.

NADA FOI FEITO...
Apesar do conhecimento prévio, nada foi feito pelos aliados para salvar os judeus da morte, revelando uma decisão política consciente por parte dos líderes ocidentais.
Plesch, que é professor no "Centro para os Estudos e Diplomacia Internacional" na Universidade "SOAS", em Londres. apresentou documentos provando que o visconde Cranborne, na altura ministro no gabinete de guerra de Winston Churchill, alegou que os judeus não poderiam ser considerados como um caso especial dentro das prioridades globais do esforço de guerra britânico, e que o Império Britânico já estava demasiado saturado de refugiados para garantir um refúgio aos judeus da Europa...

DOCUMENTO DA ONU DE 1944 INCRIMINANDO OS
NAZIS
Para além disto, estes documentos, ocultos nestes últimos 70 anos, vêm também revelar que os aliados "já tinham começado a documentar acusações de crimes de guerra baseados nos testemunhos contrabandeados dos campos de extermínio e dos movimentos de resistência em vários países ocupados pelos nazis" - revela o "The Independent."
No âmago destas descobertas feitas por Plesch nos arquivos da época, estão documentos criminalizando Hitler e seus párias por crimes de guerra cometidos em 1944.

JÁ SE SABIA...
"As grandes potências comentaram (sobre o assassínio em massa de judeus) dois anos e meio antes daquela que tem sido a data até agora assumida" - afirmou Plesch ao "The Independent."
"Tem sido alegado que elas apenas tomaram conhecimento disto quando descobriram os campos de concentração, no entanto elas fizeram estas declarações públicas já em Dezembro de 1942" - acrescentou o historiador.
Para além disso, Pelsch acrescentou ainda que a enorme colecção de evidências sobre a "Solução Final", que foi utilizada pelo enviado do presidente norte-americano Franklim D. Roosevelt à "Comissão dos Crimes de Guerra" da ONU Herbert Pell, acabou por ser retirada por anti-semitas no Departamento de Estado norte-americano.

Esta revelação comprova mais uma vez que em questões de Holocausto, não há praticamente inocentes...

Shalom, Israel!



quinta-feira, abril 13, 2017

AHMADINEJAD CANDIDATA-SE ÀS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS NO IRÃO

Numa inesperada e surpreendente resolução, o ex-presidente da República Islâmica do Irão, o cruel e hediondo inimigo de Israel Mahmoud Ahmadinejad, comunicou ontem ao seu país que também se candidataria às próximas eleições presidenciais a realizar no próximo mês de Maio.
Esta decisão surpreende ainda mais quando se sabe que este inimigo de Israel tinha sido aconselhado pelo próprio líder supremo do Irão a manter-se fora da corrida presidencial.

Julgava-se que o actual e alegadamente "moderado" presidente Rouhani - autor do enganoso acordo nuclear com Hussein Obama e outros pacóvios - seria reconduzido à presidência, tanto mais que é um seguidor das políticas actuais do líder supremo, o ayatollah Ali Khamenei. 
A candidatura e hipotética eleição de Ahmadinejad agradará certamente aos membros "linha dura" do governo de Teerão, uma vez que se vêem cada vez ameaçados pelas ameaças vindas de Washington, e o radical Ahmadinejad, um incurável anti-semita e anti-americano, seria para eles a escolha certa para enfrentar as ameaças de Donald Trump, que já provou que não se fica pelas palavras...

Ahmadinejad serviu a presidência iraniana por 2 mandatos de 4 anos, entre 2005 e 2013.
A sua reeleição em 2009 gerou violentos protestos que levaram à prisão de milhares de manifestantes e à morte de várias dezenas.

NEGACIONISTA
Para além da sua conhecida crueldade interna, Ahmadinejad é um claro negacionista do Holocausto, verberando por diversas vezes a aniquilação do estado judaico e defendendo o desenvolvimento do programa nuclear do seu país.

MAIS UMA PEÇA NESTE XADREZ PRÉ III GUERRA MUNDIAL?
2017 não pára de nos surpreender. Grandes e inesperadas mudanças no xadrez internacional têm avolumado as tensões no Médio Oriente e não só. A possível volta deste sanguinário líder anti-semita ao palco das decisões não augura nada de bom neste cenário que muitos já alegam poder vir a ser a preparação para a próxima e inescapável III guerra mundial...

Shalom, Israel!

quarta-feira, abril 12, 2017

MILHARES DE JUDEUS VISITAM A CAVE DE MACPELA, NA CIDADE BÍBLICA DE HEBRON

Muitos milhares de judeus estão visitando a cave de Macpela durante a época das festas bíblicas da Páscoa judaica. Durante a maior parte do ano só uma parte da cave é aberta para as visitas de judeus, mas na altura da Páscoa todo o espaço fica disponível para visitas, o que atrai uma grande quantidade de judeus religiosos e não só.
A segurança está sendo garantida por cerca de 1.000 militares das Forças de Defesa de Israel, polícias e polícias de fronteira. Os peregrinos e os turistas visitam vários santuários na zona de Hebron e fazem orações dentro da própria cave.
Vários túmulos encontrados dentro da cave são venerados visitados pelos judeus: para além do túmulo dos patriarcas Abraão e Sara, Isaque e Rebeca, Jacó e Lia, também se podem encontrar o do profeta Otniel que, segundo a tradição, era o genro de Calebe, um dos 12 espias que foram enviados por Moisés para conhecer a Terra Prometida.

Shalom, Israel!

terça-feira, abril 11, 2017

O MESSIAS YESHUA (JESUS): A NOSSA PÁSCOA!

Milhões de judeus em todo o mundo reuniram-se na noite de ontem com a família e amigos para uma refeição especial denominada "seder."
Esta noite haverá um segundo "seder" pelo mundo fora.
Durante a refeição, é narrada a História de como Deus viu a aflição do Seu povo, e como o tirou da opressão do Egipto com mão poderosa e braço estendido.

YESHUA É O VERDADEIRO CUMPRIMENTO DA PÁSCOA
Infelizmente, para a esmagadora maioria dos judeus, a comemoração fica-se apenas por aí.
Mas, a Páscoa é muito mais do que a libertação do Egipto. Enquanto ali foi uma libertação física, com o sacrifício do Messias Jesus passou a ser uma libertação espiritual através da expiação integral dos pecados de toda a humanidade!

Ao celebrarmos esta importante data, lembramos a dupla libertação do povo de Deus!

O SANGUE DO CORDEIRO
Na noite anterior à saída dos judeus do Egipto, todos quantos deram ouvidos às instruções do profeta Moisés pintaram as ombreiras das portas das suas casas com o sangue do cordeiro morto, para que a ira de Deus "passasse por cima" desse lar. É essa mesma expressão "passar por cima" - pesach - que deu origem à palavra "Páscoa."
Esse sangue derramado com a morte do cordeiro inocente antevia já a morte do Messias Jesus, o nosso Cordeiro pascal, cujo sangue foi derramado pelos pecados - 1 Pedro 1:19.
"No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo" - Evangelho de João 1:29. 

"Porque o Messias, nossa páscoa, foi sacrificado por nós." - 1 Coríntios 5:7.

O MESSIAS YESHUA REPRESENTADO PELO PÃO SEM FERMENTO (MATZAH)
Nestes 8 dias de celebração da Festa bíblica da Pascoa, os judeus estão proibidos de comer pão fermentado ou qualquer espécie de fermento. Quando o povo de Israel saiu do Egipto na madrugada da Páscoa, fê-lo apressadamente, não dando tempo ao pão de fermentar, pelo que a festa só deve incluir "matzah" - pão ázimo, não fermentado.
Sendo na Bíblia um símbolo do pecado, o fermento não "contaminou" a Pessoa do Messias Jesus, sendo Ele perfeito em tudo, nunca pecando, vivendo assim - e só Ele - uma vida inteira isenta de pecado, o fermento espiritual.

"Façamos a festa, não com o fermento velho (pecado), nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade" - 1 Coríntios 5: 8.

Boa Páscoa!