terça-feira, abril 01, 2014

LIBERTAÇÃO DO ESPIÃO POLLARD NEGOCIADA EM TROCA DA LIBERTAÇÃO DE CENTENAS DE TERRORISTAS PALESTINIANOS

Tudo leva a crer que Jonathan Pollard, o analista civil preso nos EUA, acusado de espionagem a favor de Israel, será a "moeda de troca" sugerida pelos norte-americanos para a libertação de centenas de terroristas palestinianos detidos em prisões israelitas.
A confirmar-se a notícia, Pollard será libertado antes da Páscoa judaica, que se inicia a 14 de Abril. Para além da libertação dos palestinianos, outra cláusula do acordo será a extensão das negociações entre palestinianos e israelitas até ao ano 2015.
Estas medidas são parte do plano norte-americano que John Kerry está a todo o custo a tentar ressuscitar, levando-o a mais uma viagem inesperada a Israel esta manhã para se encontrar com Netanyahu, sendo a segunda visita num espaço de apenas 12 horas. É provável que Kerry se encontre também amanhã com o líder palestiniano, Mahmoud Abbas.
Segundo as últimas informações prestadas por um ministro israelita, Jonathan Pollard não aceita ser liberto da prisão norte-americana onde se encontra detido em troca da libertação de terroristas. Nas suas próprias palavras, este é "um negócio vergonhoso."
Pollard, com 59 anos, é um cidadão norte-americano, analista civil ao serviço da Marinha dos EUA, detido desde 1985 por ter sido apanhado a entregar documentos secretos a agentes israelitas, e está por isso cumprindo uma pena de prisão perpétua. O seu estado de saúde tem estado gradualmente a debilitar-se, prevendo-se que poderia sair em liberdade condicional já em 2015. 

ISRAEL DÁ TUDO EM TROCA DE QUÊ?
Mais uma vez Israel "dá tudo" aos palestinianos, em troca de "quase nada". O acordo existente para a libertação dos últimos palestinianos incluia apenas 26 indivíduos, mas com este novo "empurrão" dos americanos, Israel irá libertar centenas de terroristas, incluindo alguns líderes dos vários movimentos palestinianos.
Segundo os palestinianos, Israel comprometeu-se também a "congelar" a construção de novos aldeamentos, excepto em Jerusalém, a discutir no final deste ano.
Até quando Israel terá de perder tanto para ganhar nada em troca? Até quando os norte-americanos imporão a Israel aquilo que tem de ser feito, sempre a favor dos terroristas e tão pouco a favor dos judeus?
Shalom, Israel!

1 comentário:

Elias Oliveira Elias disse...

Estamos a caminho do fim. Os Estados Unidos perderam o sentido da fé e pagarão caro por isso, os juizos de Deus já estão sobre eles! Shalom Israel