segunda-feira, agosto 04, 2014

TODOS OS TÚNEIS DESTRUÍDOS - AFIRMA GOVERNO ISRAELITA

Israel informou esta tarde que completou um dos principais objectivos da sua intervenção na Faixa de Gaza: a destruição da infraestrutura dos túneis utilizados para actos de terrorismo em Israel.
"As Forças de Defesa de Israel completaram o trabalho de neutralização dos túneis" - afirmou um oficial responsável do comando sul, acrescentando: "e estão agora a reposicionar-se em fortes posições defensivas dentro do território palestiniano."

ISRAEL CONCEDEU UMA TRÉGUA HUMANITÁRIA UNILATERAL DE 7 HORAS
Entre as 10 desta manhã e as 5 da tarde Israel concedeu unilateralmente aos palestinianos 7 horas de cessar fogo humanitário, após o que voltou a bombardear posições terroristas em Gaza.
Tal como lhe é costumeiro, o Hamas não respeitou as tréguas, tendo durante esse período disparado 31 rockets contra Israel e atingido 2 militares israelitas com um disparo de morteiro. 

"FIZEMOS O HAMAS RECUAR 5 ANOS"
Segundo afirmações do Ministro da Defesa de Israel, Moshe Ya'alon, durante as suas acções militares, "Israel fez o Hamas andar para trás 5 anos."
E o ministro acrescentou ainda: "o Hamas pagou até agora um alto preço e deveria, juntamente com os habitantes de Gaza, calcular se esta situação lhes é conveniente ou não."
Esta acção das Forças de defesa de Israel levaram o Hamas à condição de há 5 anos atrás quando começarou a construir toda a infraestrutura terrorista para atacar Israel.

"AS OPERAÇÕES CONTINUARÃO ATÉ DEIXAREM DE DISPARAR ROCKETS"
O primeiro-ministro Netanyahu afirmou entretanto que a operação "Margem de Protecção" prosseguirá até que não hajam mais rockets disparados contra as populações civis de Israel.
Após consultar a liderança militar da zona sul, Netanyahu afirmou que "A campanha em Gaza vai continuar. O que está à beira de se concluir é a actividade das FDI nos túneis, mas esta operação só terminará quando a calma e a segurança regressarem aos cidadãos de Israel por um longo período de tempo."

Segundo o primeiro-ministro israelita, Israel não tem qualquer intenção de atingir civis em Gaza, sendo o próprio Hamas a atingir a população de Gaza, ao impedir que possam receber ajuda humanitária: "Penso que a comunidade internacional deveria condenar verbalmente o Hamas, e exigir, tal como nós, que a reabilitação de Gaza esteja ligada à sua desmilitarização."

Shalom, Israel!

1 comentário:

Cesar Augusto Cabral Arevalo Iehouah disse...

Cinco anos? As lideranças palestinas tem que recuar 47 anos no tempo, pois quando mais uma vez lutaram pelo extermínio judeu ao lado dos Golias das nações árabes e foram desprezados pelas mesmas, quem os acolheu, cuidou e ajudou? Não foram os antissemitas mundiais, a esquerda brasileira, os judeus antissionistas ou os pseudo-humanistas teatrais, muito menos a fobia neuro-imperialista da fundamentalismo muçulmano. Apenas o Estado Sionista De Israel tem tratado os palestinos como gente e se importado pelo bem-estar deles e suas gerações. Somente pode haver poder militar e bélico ali de Israel, Gaza e Cisjordânia são - naturalmente - jurisdição israelense e apenas Israel possui competência para o bem-estar árabe e mesmo muçulmano de Gaza a Cisjordânia e do Golan ao Sinai. Isto, pensando em paz e prosperidade mútuos.