segunda-feira, janeiro 09, 2017

MILHARES DE PESSOAS ASSISTEM AOS FUNERAIS DOS 4 JOVENS MILITARES ONTEM ASSASSINADOS POR UM PALESTINIANO

"Por que é que nós merecemos isto?" - questionou a mãe de uma das vítimas do ataque terrorista de ontem, na capital Jerusalém, e que vitimou um total de 4 jovens militares e deixou outros 15 feridos.
Erez Orbach, Shira Tzur, Shir Hajaj, e Yael Yakutiel, todos jovens na flor da idade, foram hoje a sepultar em vários pontos do país, sob intensa comoção e participação de milhares de pessoas solidárias com o sofrimento destas famílias enlutadas. 
Ontem de manhã, um terrorista palestiniano de 28 anos, residente em Jerusalém oriental e detentor de identidade israelita, conduziu o camião com que trabalhava, acelerando-o a alta velocidade contra um grupo de soldados que tinham acabado de sair de um autocarro para visitar um dos pontos turísticos mais visitados em Jerusalém. Não satisfeito com o hediondo crime, o terrorista ainda recuou e voltou a abalroar mais alguns soldados, tendo de imediato sido abatido pelos tiros de um soldado israelita ali presente.

APLAUDIDO PELO HAMAS
O hediondo acto terrorista tem sido veementemente condenado um pouco por todo o mundo. 
A excepção tem obviamente sido o Hamas, um grupo terrorista islâmico que domina a Faixa de Gaza, e que celebrou com festa, foguetes e troca de doces o "acto heróico", assim descrito por um porta-voz deste abominável grupo terrorista.
Nenhum grupo até agora reivindicou o atentado. Ontem mesmo, pouco depois da tragédia, o primeiro-ministro Netanyahu, de visita aolocal, afirmou que o mesmo seguia o padrão recente dos ataques do Daesh ocorridos em Nice e em Berlim, julgando-se assim que o terrorista responsável teria alguma associação ao movimento em causa, embora os familiares o neguem.

A NOSSA HOMENAGEM
Prestamos aqui o nosso singelo tributo a estes jovens assassinados na flor da idade por alguém que representa o sentimento geral dos inimigos de Israel, aqueles que querem a todo o custo ser entendidos pela comunidade internacional como "vítimas da ocupação israelita", mas que são na verdade pérfidos manipuladores da opinião pública mundial e inimigos da paz e do progresso. 
Estes 4 jovens eram apenas jovens. Alegres. Judeus. Seria esse o problema? Sim, o facto de ser-se judeu perturba muita gente, e, tal como dizia o porta-voz do Hamas, acabar com "essa gente" é um acto de heroísmo a celebrar por todos os palestinianos.
É com hediondos actos terroristas como este que Israel tem de conviver permanentemente. É de gente como esta - os palestinianos - que Israel tem de se defender a todo o custo, quer o mundo entenda ou não.

Shalom, Israel!

3 comentários:

Ruben MANUEL PEREIRA Fontoura e Celeste Maria Morais Gonçalves Fontoura. disse...

Israel não devolveu o cadáver do terrorista e prepara-se para lhe destruir a casa, sem permissão de alojamento alternativo para a família. Além disso, já prendeu vários familiares do imbecil. Isto é o mínimo que Israel pode fazer. Talvez desta forma, alguns loucos árabes pensem duas vezes antes de cometerem tragédia. E deve estar a dar resultado.
Infelizmente, este não será o último acto terrorista. Enquanto houver permissão de árabes habitarem em Israel, todo o Judeu tem de estar preparado para tudo.

olga disse...

Qualquer pessoa pode cometer um ato terrorista não só os árabes... O que ocorre é que há autoridades e, países que incentivam atos como este! Qualquer criança educada para odiar transformar-se em um instrumento de morte... Neste blog mesmo há uma noticia sobre escolas financiadas pela ONU, na Faixa de Gaza, que tiraram Israel do mapa! Como uma pessoa pode respeitar alguém cuja existência não reconhece... Preocupante, pois assim caminha a humanidade... Que Deus console as famílias destes heróis/soldados israelenses!
http://shalom-israel-shalom.blogspot.com.br/2017/01/israel-apagado-dos-livros-de-texto-das.html
Shalom Israel!
Olga


Victor Nunes disse...

Lamentável infelizmente Israel não pode dar acesso aos árabes ao seu território senão é uma bomba relógio tem árabes de bem que podem pagar pelos bandidos